Manipulação articular

Manipulação articular se define por técnicas da terapia manual, que através de movimentos nas superfícies articulares visa o restabelecimento da sua fisiologia normal. Existem na medicina muitas técnicas que lançam mão deste recurso, temos como exemplos a Osteopatia e a Quiropraxia.

A idéia de uma disfunção vertebral conseguir causar um distúrbio não somente ortopédico se baseia nas alterações de do sistema esquelético, articular ou miofascial, acarretam alterações no sistema vascular, neural e linfático.

A manipulação articular visa o movimento ideal, sem dor, mantendo a extensibilidade da articulação e outras estruturas periarticulares ou aumentando a extensibilidade quando há restrições periarticulares. Sendo que pode ou não estar acompanhadas por limitação na amplitude do movimento articular. Essas são causadas por imobilizações ou inflamações nas articulações ou em estruturas adjacentes. Exemplos:

Articulação imobilizada por muito tempo: o conteúdo intracelular de água diminui, causando diminuição da distancia das fibras que constituem a capsula articular. Levando a aumento da formação de ligações transversas entre as fibras, que se traduz no final por adesão capsular.

Inflamações: produz hipertrofia do revestimento sinovial devido à invasão de fibras de tecido conjuntivo, levando a fibrose do revestimento sinovial resultando em contraturas articulares.

A imobilização e inflamação (que também causa imobilização) são tratadas de maneira muito semelhantes do ponto de vista da terapia manual articular. O que diferenciará uma técnica aplicada são a direção, amplitude, velocidade e local da lesão.

Para tanto se lança mão do estudo da curva de sobrecarga-distensão, sendo aplicável á todas as estruturas sólidas.[1]

Primeiro estagio: elástico: o tecido é alongado, mas ao retirar a carga aplicada ele volta como estava antes.

Segundo estágio: plástico: o alongamento permanece no tecido mesmo após a retirada da carga.

Terceiro estágio: ponto de quebra ou falha: ocorre a separação dos tecidos

Entre o segundo e o terceiro estágio existe o chamado ponto de pescoço onde a diminuição da carga aplicada é acompanhada de uma deformação. O que indica a proximidade do terceiro estagio.

Para a realização do tratamento classificamos em graus:

Grau

Movimento

Amplitude

Orientação

Distensão

1

Oscilatório lento

Pequena

Paralelo a superfície articular côncava

Até estagio 1

2

Oscilatório lento

Mediana

Paralelo à superfície articular côncava

Até estágio 1

3

Oscilatório lento

Grande

Paralelo à superfície articular côncava

Até estagio 1

4

Oscilatório lento

Pequena

Paralelo à superfície articular côncava

Até o ponto de pescoço

5

Não oscilatório rápido

Pequena

Paralelo à superfície articular côncava

Alem estágio 3

Sendo em todos a realização de o mínimo de tração para diminuir a compressão das superfícies articulares. Todos os graus realizam analgesia. Os graus 3 e 4 aumentar extensibilidade, correção de posicionamento, liberar meniscos. Grau 5 redução de hérnias, quando os graus 3 e 4 não foram satisfatórios.


    Outra técnica muito interessante aplicada na terapia manual é a técnica indireta. Maitland é que mais se utiliza dela. Consiste em se movimentarem direção oposta à direção da restrição. Acredita-se que as restrições articulares podem ser causadas pelo encavalamento de duas superfícies articulares. Para tanto se aplica a teoria do abrir a porta para depois fechá-la. Libera-se o espaço para o retorno da estrutura “presa” para depois as estruturas por si só retornem ao seu funcionamento normal.

    No geral as técnicas demoram de 5 a 45 minutos de aplicação, dependendo da quantidade de tecidos envolvidos ou tamanho da lesão. Assim como se utiliza de outras técnicas associadas. Os intervalos das sessões devem ser de no mínimo 48h,para permitir que as estruturas em questão consigam retornar as posições desejadas e o corpo se recupere de qualquer efeito prejudicial do tratamento anterior.


Autora: Dra. Erika Matzick



[1] Dentre outros fatores analisados, não pormenorizados aqui neste texto.

Comments